Notícia

Exercício físico pode ser uma ferramenta para prevenir o acúmulo de ferro em mulheres na pós-menopausa

Projeto IronFEMME, desenvolvido na Espanha, tem como objetivo principal determinar a influência de diferentes perfis hormonais no metabolismo do ferro em mulheres que praticam esportes

Pixabay

Fonte

UPM | Universidade Politécnica de Madri

Data

quarta-feira, 1 dezembro 2021 06:55

Áreas

Educação Física. Metabolismo. Saúde da Mulher.

O planejamento de um programa de exercícios adequado pode prevenir o acúmulo de ferro em mulheres na pós-menopausa. Este é um dos resultados produzidos pelo Projeto IronFEMME, dirigido pelas professoras Dra. Ana Belén Peinado e Dra. Rocío Cupeiro, e no qual trabalharam pesquisadores do Grupo de Pesquisa do Laboratório de Fisiologia do Esforço (Grupo de Pesquisa LFE) da Faculdade de Ciências da Atividade Física e Esportes na Universidade Politécnica de Madri (UPM). Um dos principais objetivos do projeto é observar as diferenças observadas no metabolismo do ferro em função do estágio do ciclo hormonal em que se encontram as atletas do sexo feminino.

Alguns resultados do projeto já foram publicados nas revistas científicas Nutrients e Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sport e avaliam a resposta da hepcidina (um hormônio produzido pelo fígado envolvido na regulação do metabolismo do ferro) ao exercício em mulheres na pós-menopausa e os resultados da análise da homeostase do ferro em resposta ao exercício em atletas do sexo feminino em uso de anticoncepcionais orais.

Em relação ao primeiro trabalho, os pesquisadores descobriram que, após a prática de um programa de treinamento resistivo, a resposta da hepcidina ao exercício em mulheres na pós-menopausa é atípica em relação às mulheres na pré-menopausa, uma vez que as primeiras mantêm níveis de hepcidina elevados até 24 horas após o exercício.

“Os resultados mostram que a hepcidina permanece elevada por um longo período de tempo e pode ser uma ferramenta interessante para reduzir a absorção de ferro por quase um dia inteiro em mulheres na pós-menopausa que apresentam acúmulo indesejado de ferro”, explicou Víctor Manuel Alfaro, do Grupo de Pesquisa LFE e principal autor do trabalho. Além disso, “mulheres na pós-menopausa que se exercitam do ponto de vista não competitivo ou de saúde e com deficiência de ferro se beneficiariam de um programa que alterna dias de treinamento e dias de suplementação oral de ferro, maximizando assim a absorção desse micronutriente”, explicou o pesquisador.

Anticoncepcionais orais monofásicos não influenciam a absorção de ferro

Por outro lado, os resultados da análise da homeostase do ferro em resposta ao exercício em esportistas que usam anticoncepcionais orais mostram que as diferentes fases de um ciclo anticoncepcional oral (fase do placebo e fase do anticoncepcional) não produzem alterações na homeostase do ferro. em resposta ao exercício.

“Neste novo estudo, sugere-se que as variações nos níveis dos hormônios sexuais (estrogênio e progesterona) são muito pequenas para produzir mudanças na resposta da hepcidina e outros marcadores de ferro ao exercício. Portanto, é de se esperar uma absorção semelhante de ferro durante as duas fases do ciclo anticoncepcional oral após o exercício ”, disse Víctor Alfaro. O pesquisador esclareceu que, no entanto, pequenas variações são observadas quando a mulher está em repouso.

“Nos valores de repouso, observa-se redução dos níveis séricos de ferro durante a fase placebo em relação ao uso da pílula, o que, com base na literatura existente, pode ser decorrente da ocorrência de sangramento menstrual durante a fase placebo”.

Para os pesquisadores, a sua aplicação na prevenção e tratamento da anemia é uma das principais vantagens deste estudo: “Os avanços descritos permitem-nos aumentar o nosso conhecimento da fisiologia das desportistas de forma a contribuir para a sua saúde e bem-estar. Especificamente, ajudam a compreender e prevenir o problema generalizado de anemia e deficiência de ferro em desportistas e sugerem novas formas de resolver o problema”, concluíram os pesquisadores.

Acesse o resumo do artigo científico publicado na revista Nutrients (em inglês).

Acesse o artigo científico completo publicado na revista Scandinavian Journal of Medicine and Science in Sport (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade Politécnica de Madri (em espanhol)

Fonte: Universidade Politécnica de Madri. Imagem: Pixabay.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2022 tech4health t4h | Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account