Notícia

Nova terapia contra o HIV reduz vírus e aumenta a imunidade em pacientes resistentes a medicamentos

Estudo multicêntrico revela eficácia de novo tratamento com Ibalizumab

Pixabay

Fonte

Universidade Yale

Data

quinta-feira, 16 agosto 2018 10:15

Áreas

Medicina. Imunologia. Doenças Infecciosas. HIV.

Em estudo de fase 3, um novo medicamento contra o HIV reduziu a replicação viral e aumentou as células imunológicas em indivíduos com infecção pelo HIV avançada e resistente a medicamentos. Usado em combinação com medicamentos existentes para o HIV, o medicamento é uma estratégia promissora para pacientes que ficaram sem opções de tratamento eficazes, afirmam os pesquisadores. lO estudo teve como co-autora a professora Brinda Emu, da Universidade Yale, nos Estados Unidos, e os resultados foram publicados na revista científica New England Journal of Medicine.

Para alguns indivíduos com HIV, as terapias medicamentosas existentes não conseguem suprimir o vírus, levando à resistência aos medicamentos e ao agravamento da doença. Embora vários medicamentos contra o HIV tenham como alvo o vírus efetivamente, não há uma nova classe de medicamentos aprovados para combater a doença na última década. Em março de 2018, a agência reguladora americana (FDA) aprovou o ibalizumab, um medicamento que tem como alvo o receptor primário para a entrada do HIV em células imunológicas conhecidas como células T CD4. Este novo mecanismo de ação impede que o HIV entre nas células-alvo.

Este desenvolvimento foi multicêntrico, incluindo a Universidade Yale, e envolveu pacientes com HIV resistente a múltiplos medicamentos. Os pacientes receberam uma dose de ibalizumab por via intravenosa por uma semana, além da terapia inicial. Após esse período, eles receberam ibalizumab em combinação com regimes de tratamento otimizados por seis meses.

A equipe de pesquisa descobriu que, após uma semana com ibalizumabe, a maioria dos 40 pacientes (83%) incluídos no estudo apresentou diminuição na carga viral, o que se refere à quantidade de HIV detectada no sangue. Após 25 semanas, a supressão da carga viral caiu abaixo do nível de detecção em quase metade dos pacientes. Os pesquisadores também relataram um aumento nas células T CD4, que são um marcador para a força imunológica. Um único indivíduo experimentou um evento adverso, que foi considerado como relacionado ao ibalizumab e resultou em sua retirada do estudo, explicaram os pesquisadores.

Os resultados foram notáveis ​​para esta população de pacientes estudados, resistente à droga. A pesquisadora Dra. Brinda Emu ressaltou: “Estes pacientes tinham vírus extremamente avançados do HIV e resistentes com opções limitadas de tratamento. Observar a supressão viral em uma porcentagem significativa desses pacientes em seis meses é animador. O resultado representa um novo mecanismo de ação muito necessário para pacientes com HIV altamente resistente ”.

Como o primeiro anticorpo monoclonal aprovado para o tratamento do HIV, o ibalizumab é uma opção promissora para indivíduos que já experimentaram várias outras terapias medicamentosas. “Deve ser considerado para pacientes que têm resistência a múltiplas drogas, dada a eficácia observada neste estudo”, observou ela.

Devido ao seu novo mecanismo, o ibalizumab não irá interagir negativamente com outros medicamentos. Além disso, o medicamento é administrado por via intravenosa a cada duas semanas e dura mais do que os medicamentos atuais para o HIV, que são tomados diariamente por via oral. “Estou ansiosa para discussões na comunidade sobre como tal terapia vai se encaixar no atual paradigma de tratamento para a infecção pelo HIV. Também devemos ter em mente que o ibalizumabe foi aprovado com um número menor de pacientes tratados do que outros medicamentos devido à raridade de pacientes com HIV resistente a múltiplos medicamentos. Como tal, os pacientes devem permanecer vigilantes quanto aos efeitos colaterais e eventos adversos ”, concluiu a pesquisadora.

Acesse o resumo do artigo científico (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade Yale (em inglês).

Fonte: Ziba Kashef, Yale News. Imagem: Pixabay.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account