Notícia

Novo estudo clínico testará o óleo de Krill em pacientes com lúpus

Estudo clínico envolverá 20 centros nos Estados Unidos e um total de 76 pessoas diagnosticadas com lúpus

Wikimedia Commons

Fonte

Hospital for Special Surgery

Data

quarta-feira, 30 janeiro 2019 10:30

Áreas

Estudo Clínico. Medicina.

O óleo de krill pode melhorar a qualidade de vida das pessoas que vivem com lúpus eritematoso sistêmico? Um estudo clínico, envolvendo 20 centros nos Estados Unidos, está atualmente inscrevendo pacientes para responder a essa questão. O Hospital for Special Surgery (HSS), na cidade de Nova York, tem como objetivo inscrever quatro pacientes com a doença ativa no estudo, que tem como alvo um total de 76 pessoas diagnosticadas com lúpus. O krill, pequeno crustáceo encontrado nos oceanos, é rico em ômega-3 com fosfolipídeos e também contém os nutrientes naturais colina e astaxantina.

“Os ácidos graxos ômega-3 no óleo de krill inibem uma série de aspectos da inflamação e o óleo de krill tem sido proposto como um suplemento para muitas indicações diferentes, incluindo doenças cardiovasculares. Neste estudo, vamos testar formalmente seus efeitos sobre a gravidade dos sintomas associados ao lúpus “, disse a Dra. Jane Salmon, coordenadora do estudo multicêntrico e diretora do Centro de Excelência em Lúpus e co-diretora do Centro para Pesquisa em Lúpus, ambos no HSS. “Este estudo clínico multicêntrico reflete nossa capacidade de resposta aos desejos de nossos pacientes de testar uma opção segura que teria o potencial de atenuar a atividade do lúpus e as complicações cardiovasculares associadas a ela”.

O Dr. Kyriakos Kirou, reumatologista do HSS e coordenador local do estudo, disse que, se o teste for positivo, ele prevê o uso de óleo de krill em pessoas com lúpus ativo e inativo. “As pessoas com lúpus podem desenvolver doença cardiovascular prematura devido à dislipidemia. Quando as pessoas afetadas pelo lúpus estão com 40 anos, elas correm mais risco de desenvolver ataques cardíacos ou derrames do que outras sem a doença. Mesmo pessoas com lúpus inativo podem desenvolver aterosclerose e doença cardíaca “, explicou o especialista.

O lúpus, diagnosticado com mais frequência entre as idades de 15 e 45 anos, é uma doença multissistêmica, aguda e crônica, auto-imune, na qual o corpo ataca seus tecidos saudáveis, resultando em vermelhidão ou inchaço, dor e danos aos órgãos. O lúpus afeta cada pessoa de forma diferente e pode ser muito leve ou grave. Um conjunto de sintomas, como erupção cutânea na face, articulações doloridas ou inchadas e inflamação de órgãos, pode começar e terminar sem aviso prévio.

Os pesquisadores estão iniciando o novo estudo, em parte, porque há evidências de que os ácidos graxos poliinsaturados (PUFA), como o ômega-3, inibem a inflamação, e também porque as pessoas diagnosticadas com lúpus possuem deficiência em  ômega-3. “Em modelos animais de lúpus e nefrite lúpica, os ácidos graxos poliinsaturados  mostraram melhora na sobrevida, doença renal e níveis de autoanticorpos”, disse o Dr. Kirou. “O Omega-3 é a espinha dorsal da síntese de mediadores antiinflamatórios.” Em particular, o óleo de krill contém ácidos graxos ômega-3 que estão ligados a fosfolipídios, o que ajuda significativamente as células do corpo a absorver melhor os ômega-3.

Os pacientes no estudo duplo-cego serão randomizados para receber uma formulação em gel de óleo de krill ou placebo por 6 meses e então todos os pacientes receberão o suplemento ativo por mais seis meses. “É um suplemento seguro. Existe uma forte razão para que efetivamente diminua a inflamação no lúpus”, disse o Dr. Kirou.

O principal objetivo do estudo é avaliar a capacidade dos suplementos de repor a deficiência dietética de ômega-3 em pessoas com lúpus, medindo o índice ômega-3 e os glóbulos vermelhos nos pacientes. Os objetivos secundários incluem avaliar a segurança e a qualidade de vida, se a correção da deficiência de ômega-3 pode reduzir a atividade da doença em pacientes com lúpus e se ela tem um efeito de poupar esteroides.

Acesse a notícia completa na página do Hospital for Special Surgery (em inglês).

Fonte: Hospital for Special Surgery. Imagem: Wikimedia Commons.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

Entre em Contato

Enviando

2019 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account