Notícia

Novo biomaterial facilita o tratamento de lesões cutâneas

Pesquisadores da UESPI desenvolvem biomaterial a base de pólen apícola

Pixabay

Fonte

UESPI | Universidade Estadual do Piauí

Data

quinta-feira, 23 maio 2019 13:05

Áreas

Biomateriais.

Pesquisadores vinculados ao Programa Renorbio desenvolveram um biomaterial capaz de tornar o tratamento de lesões cutâneas mais eficaz e com menor custo. Os testes dos materiais a base de pólen apícola foram realizados nos laboratórios do GERATEC (CCN), enquanto que os testes in vivo foram conduzidos no laboratório de Biotecnologia e Biodiversidade (CCS), ambos da Universidade Estadual do Piauí (UESPI).

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI), em Teresina cerca de 30% das internações hospitalares são de pessoas que sofreram acidentes de trânsito. Com isso, a quantidade de doenças relacionadas à lesões cutâneas e corporais (doenças degenerativas, fraturas, neoplasias) têm crescido, e novas alternativas de reparo com biomateriais são viáveis para o melhor desenvolvimento da saúde pública e estudos ósseos.

O tratamento de feridas é um segmento que apresenta muitos desafios quanto à utilização de materiais  que proporcionem a cura e quanto ao custo dos materiais para o sistema de atendimento ao público e para o paciente. Considerando este aspecto de eficiência e custo e todas as comprovações científicas relacionadas aos benefícios de uso do pólen apícola como um agente que melhora em diversos aspectos a saúde do indivíduo, buscou-se o desenvolvimento de um material que fosse capaz de acelerar o processo cicatricial a um custo mais reduzido.

A pesquisa foi feita por Afra Nascimento durante seu doutorado, sob orientação do professor Dr. Geraldo Eduardo da Luz, e colaboração do professor Dr. Antônio Luiz Martins Maia Filho.”Esse filme é feito com colágeno e extrato de pólen apícola capaz de  promover a cicatrização do tecido lesionado integralmente e em uma única vez, tendo em vista que a pomada cicatrizante tem que ser reposta todos os dias. Dessa forma, o material possui mais eficácia”, destaca o Dr. Geraldo Luz.

Pelos testes in vivo foi possível comprovar que o material sintetizado foi efetivo em seu propósito, promovendo a cicatrização com um mínimo de quadros inflamatórios e sem causar alterações mutagênicas. A Dra. Afra Nascimento fala do avanço da adesão à esse material: “Aliando-se os resultados desta pesquisa a um processo de fabrico simples e de baixo custo, tem-se um trabalho com impacto positivo não só para a comunidade científica como também para a sociedade civil”.

Acesse a notícia na página da UESPI.

Fonte: Priscila Fernandes, Assessoria de Comunicação UESPI. Imagem: Pixabay.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account