Notícia

Nova tecnologia permite diagnóstico de doenças infecciosas durante a gravidez com apenas uma gota de sangue

Tecnologia ganhou prêmio internacional de inovação

Pixabay

Fonte

Universidade do Porto

Data

segunda-feira, 22 outubro 2018 12:55

Áreas

Biomedicina. Biotecnologia. Diagnóstico.

Imagine uma tecnologia capaz de realizar os vários testes diagnósticos de doenças infeciosas recomendados na gravidez a partir de uma gota de sangue obtida através de uma simples picada no dedo. Pois essa tecnologia já existe. Em desenvolvimento pela pesquisadora Dra. Ana Luísa Neves, da Universidade do Porto, em Portugal, o Momoby, como é chamado o dispositivo, acaba de vencer o prêmio de inovação IDEA INCUBATOR, uma competição internacional com foco em invenções originais, produtos e dispositivos desenvolvidos por empreendedores de várias partes do mundo.

A competição inseriu-se na IDWeek, que se realizou na cidade de São Francisco, nos Estados Unidos, entre os dias 3 e 7 de outubro. A IDWeek 2018 – “Advancing Science, Improving Care”, considerada como uma das maiores conferências mundiais sobre doenças infeciosas, reúne anualmente os maiores especialistas e sociedades científicas desta área, como a Infectious Diseases Society of America, a Society for Healthcare Epidemiology of America, a HIV Medicine Association e a Pediatric Infectious Diseases Society.

De acordo com a pesquisadora do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS), “o protótipo consiste numa picada de dedo que permite a realização dos testes infeciosos fundamentais recomendados durante a gestação, em tempo real”. Desta forma, o Momoby “vem solucionar um problema encontrado, por exemplo, em pequenas vilas no interior de Moçambique, em que as mulheres tinham de se deslocar durante longas horas até um hospital, onde pudessem realizar esses testes”.

Embora em Portugal e na maioria dos países desenvolvidos todas as mulheres grávidas realizem este tipo de testes periodicamente e de forma gratuita, as mulheres grávidas de países em desenvolvimento podem não ter a mesma possibilidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que todas as grávidas devem fazer testes de HIV, sífilis e hepatite B. No entanto, a realidade está longe de corresponder às recomendações. Anualmente, calcula-se que quase 300 mil mulheres morram devido a problemas relacionados a doenças infeciosas durante a gravidez.

Como médica voluntária em África, principalmente no Senegal, Guiné-Bissau e Moçambique, Ana Luísa Neves testemunhou as dificuldades das comunidades isoladas onde as mulheres não têm acesso a testes diagnósticos para estas doenças. O objetivo do Momoby é por isso chegar a todas as mulheres grávidas, uma vez que é simples, rápido e pode ser facilmente transportado para qualquer lugar, permitindo fazer o diagnóstico imediatamente e enviar os casos problemáticos para tratamento. Este simples gesto será capaz de reduzir a transmissão de doenças infeciosas das mães para os bebés em mais de 95%.

Dra. Ana Luísa Neves é pesquisadora do CINTESIS,  bem como pesquisadora associada no Centre for Health Policy do Imperial College de Londres e docente voluntária no Departamento de Medicina da Comunidade, Informação e Decisão em Saúde – MEDCIDS/FMUP da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP). Ao longo dos últimos anos tem reunido diversos prêmios e distinções. Em 2018 o Momoby, do qual é CEO, já tinha ganhado um outro prêmio, no Venture Catalyst Challenge (VCC).

Acesse a notícia na página da Universidade do Porto.

Fonte: Cláudia Azevedo, CINTESIS, Universidade do Porto. Imagem: Pixabay.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2020 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account