Notícia

Mais de metade dos profissionais de saúde pode estar em “burnout”

Pesquisadores da Universidade do Porto, em Portugal, concluíram: profissionais que estão na linha da frente evidenciam elevados sinais de exaustão

Piron Guillaume via Unsplash

Fonte

Universidade do Porto

Data

quinta-feira, 4 junho 2020 10:40

Áreas

Medicina Intensiva. Saúde Mental. Serviços de Saúde.

Cerca de 52% dos profissionais de saúde apresentam sinais de exaustão física ou psicológica e burnout relacionado com o exercício da sua atividade durante a pandemia de COVID-19. Os profissionais que estão “na linha da frente do combate” são os mais afetados, evidenciando sinais significativamente mais elevados não só de burnout, mas também de stress e de ansiedade.

Estes são os resultados preliminares do estudo “Impacto da COVID-19: o papel da resiliência na depressão, na ansiedade e no burnout em profissionais de saúde”, desenvolvido por pesquisadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP), do Centro de Investigação em Tecnologias e Serviços de Saúde (CINTESIS) e da Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto.

“Importava perceber como se encontravam estes profissionais do ponto de vista psicoemocional, com a introdução gradual de medidas de desconfinamento”, explicam as coordenadoras, Dra. Ivone Duarte (FMUP/CINTESIS) e Dra. Carla Serrão (ESE.P. PORTO/InED), sobre as motivações do estudo.

E os resultados são esclarecedores. Em resposta ao questionário online, cerca de 51% dos profissionais de saúde admitem estar em exaustão física ou psicológica e mais de 52% referem estar em burnout por causa do trabalho que desenvolvem, sendo que 35% apresentam mesmo “elevados níveis de exaustão”.

Resiliência contra um “inimigo” desconhecido

Segundo as coordenadoras do estudo, “estes resultados parecem indicar que a COVID-19 resultou na exacerbação de problemas ao nível da saúde mental, com particular impacto emocional e físico nos profissionais de saúde que se encontram na linha da frente”.

A razão apontada é “a exposição dos profissionais a exigências sem precedentes, como a mortalidade elevada, o racionamento de equipamentos de proteção individual (EPI), a pressão inerente ao sentido profissional de dever para com os doentes, o medo do contágio e dilemas éticos profundos de racionamento do acesso a ventiladores e outros materiais essenciais”, para além da “necessidade de conciliação entre vida familiar e profissional”.

De acordo com as investigadoras, a capacidade de resiliência e a satisfação com a vida podem estar, de algum modo, “a amortecer o impacto da COVID-19”. Apesar da exaustão física e psicológica manifestadas, “cerca de 80% dos profissionais de saúde consideram-se capazes de enfrentar situações difíceis e potencialmente estressantes”.

O questionário foi realizado entre os dias 9 e 18 de maio e responderam quase 1500 profissionais de saúde, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, farmacêuticos e técnicos de diagnóstico e terapêutica. Destes, 28% trabalham diretamente com pessoas infetadas com o novo coronavírus (SARS-CoV2), 23% já fizeram o teste à infeção e 75% consideraram ter os equipamentos de proteção individual necessários para o desempenho da sua atividade profissional.

Acesse a notícia na página da Universidade do Porto.

Fonte:  Cláudia Azevedo (CINTESIS) e Olga Magalhães (FMUP). Imagem: Piron Guillaume via Unsplash.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account