Notícia

Estudo avalia programa voltado a apoio domiciliar a idosos

Estudo compreendeu a análise da estrutura e funcionamento do Programa Maior Cuidado (PMC), desenvolvido em Belo Horizonte

Gert Stockmans via Unsplash

Fonte

Fiocruz | Fundação Oswaldo Cruz

Data

quarta-feira, 15 setembro 2021 06:30

Áreas

Saúde do Idoso.

Identificar iniciativas com potencial para evitar internações desnecessárias de idosos e propor, para outras localidades, a implementação das que se mostrarem eficazes: esse é um dos objetivos de uma pesquisa realizada pelo Núcleo de Estudos em Saúde Pública e Envelhecimento (Nespe) da Fiocruz Minas, em parceria com o Medical Research Center (MCR) do Reino Unido. O estudo foi concluído recentemente e compreendeu a análise da estrutura e funcionamento do Programa Maior Cuidado (PMC), desenvolvido em Belo Horizonte. Os resultados levaram à indicação da iniciativa para outros municípios e ainda possibilitaram melhorias para o próprio programa na capital mineira.

Criado em 2011, o PMC visa oferecer apoio ao cuidado domiciliar a idosos que vivem em situação de vulnerabilidade clínica e social. Para isso, o município custeia o trabalho de cuidadores que são supervisionados conjuntamente por equipes locais dos centros de saúde (CS) e centros de Referência em Assistência Social (Cras). O programa é desenvolvido por meio de parceria entre as secretarias municipais de saúde e de assistência social, sendo uma das poucas iniciativas dessa natureza, em toda a América Latina, com abordagem intersetorial.

Atualmente o programa é ofertado em todas as regionais do município. Os critérios para inclusão no PMC consideram, especialmente, a idade mínima de 60 anos, a renda, a vulnerabilidade social de cada família e o grau de dependência clínica e funcional do idoso. Uma característica importante do programa é não se limitar à saúde física, mas considerar as relações sociofamiliares e demais redes de apoio existentes na comunidade em que vive o idoso com o propósito de oferecer estratégias mais abrangentes para o cuidado.

A pesquisa que avaliou o PMC foi realizada entre agosto de 2018 e abril de 2021. No decorrer desse período, os pesquisadores analisaram o funcionamento do programa por meio de metodologias combinadas, que incluiu coleta de dados secundários, análise documental, observações empíricas de reuniões com as equipes que atuam na gestão do programa, sessões de grupos focais, além de entrevistas com cuidadores, idosos e seus familiares, técnicos e coordenadores do programa. Os resultados mostraram que o PMC é apreciado e valorizado por todos os envolvidos, o que tem garantido a sua continuidade há 10 anos, resistindo inclusive a mudanças de gestão no município.

“A sobrevivência a diferentes gestões é um indício de que o programa realmente faz a diferença. Além disso, a pesquisa revelou que o PMC impacta vários atores envolvidos na dinâmica do cuidado. Para os idosos, permite que eles recebam cuidados no próprio lar. Para os familiares, funciona como um apoio importante para evitar a sobrecarga. Por sua vez, para o cuidador, a contratação tem um papel fundamental enquanto fonte de renda. De forma unânime, a avaliação geral foi bastante positiva”, afirma a pesquisadora Dra. Janaína Aredes, do Nespe da Fiocruz Minas.

Desdobramentos do estudo

Além de avaliar uma prática com potencial para evitar hospitalizações e institucionalizações de pessoas idosas, a pesquisa identificou a aplicabilidade do PMC para outros contextos locais e nacionais. A divulgação dos resultados da avaliação favoreceu o interesse de outros municípios em replicar a experiência do PMC, como Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte; e Fortaleza, capital do Ceará. O PMC foi apresentado ao município de Fortaleza e contou com a adesão do governo estadual para financiamento de um estudo piloto, que adotará os principais elementos do PMC adaptados ao cenário local.

Segundo os pesquisadores, até o momento, o Brasil fez poucos progressos na integração dos serviços de saúde e assistência social para idosos. Daí a importância de avaliar as iniciativas que existem no país com essa abordagem e incentivar o emprego das que se mostrarem eficazes para outras localidades. Atualmente, o Brasil possui a 6ª maior população de idosos do mundo, com aproximadamente 30 milhões de pessoas com 60 anos ou mais, o que representa 15% da população total. Até 2030, esse número vai superar o de crianças e adolescentes e, até 2050, chegará a 64 milhões de pessoas, 30% da população brasileira.

Deve-se ressaltar que o envelhecimento da população no país se dá em um contexto de crise econômica e profundas desigualdades sociais e de gênero, que foram exacerbadas pela pandemia de COVID-19. Mesmo antes da crise sanitária, já se constatava a necessidade de administrar as pressões sobre o SUS. Estudos anteriores relatam que admissões hospitalares e longas internações são, em parte, devido à falta de apoio para o cuidado na própria comunidade que o idoso vive. A permanência desnecessária em hospitais expõe os idosos a outros riscos à saúde, além de contrariar o desejo de muitos deles de permanecer em suas próprias residências tanto quanto possível.

Acesse a notícia completa na página da Fiocruz.

Fonte: Fiocruz Minas. Imagem: Gert Stockmans via Unsplash.

Em suas publicações, o Portal Tech4Health da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Portal Tech4Health tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Portal Tech4Health e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Portal Tech4Health, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Portal Tech4Health | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Saúde e Tecnologias da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando
ou

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

ou

Create Account