Notícia

Aluno e professores da UESC fabricam próteses mecânicas de baixo custo

Prótese de mão E-nable foi fabricada  partir de impressora 3D desenvolvida por professores

Divulgação

Fonte

UESC | Universidade Estadual de Santa Cruz

Data

quarta-feira, 11 Abril 2018 19:10

Áreas

Engenharia Mecânica. Engenharia Biomédica. Biomecânica. Impressão 3D.

O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do discente Tiago Santa Fé, do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), em Ilhéus (BA), teve como resultado a fabricação de uma prótese mecânica de mão de baixo custo. Os orientadores do projeto foram os professores Erickson Fabiano Moura Sousa Silva e Victor Hugo Martins de Almeida.

A ideia foi colocada em prática graças à impressora 3D de baixo custo montada pelos professores para o uso comum das atividades acadêmicas da Universidade, no ambiente do Laboratório de Projetos Mecânicos e Tribologia (LAPMET), do curso de Engenharia Mecânica da UESC. Inicialmente, aluno e professores imaginavam um projeto que pudesse beneficiar animais amputados e, após conversarem com a Profa. Dra. Elisângela Barboza da Silva, do curso de medicina veterinária, passaram a enxergar além do que imaginavam, não somente a criação de próteses para os animais, mas também para pessoas.

A ideia foi criar uma prótese para pessoas de baixa renda, que sonham com uma prótese de membros superiores. Começaram a estudar e decidiram adotar a plataforma E-NABLE, que é uma comunidade global formada por pessoas dispostas a colaborar para melhorar e difundir projetos de impressão 3D para próteses de mãos e braços, visando ajudar em especial crianças, mas também adultos que nasceram com limitações nos membros superiores ou sofreram amputação.

O modelo impresso foi o Flex Hand, no qual a aparência é bem parecida com uma mão real. O protótipo é leve, prático e barato, tendo um valor médio de R$ 50 enquanto uma prótese normal pode custar em torno de R$ 5 mil, assim, a alternativa pode ser capaz de ajudar centenas de pacientes.

As peças principais, para que a mão mecânica pudesse utilizar o movimento do pulso e distribuir a força para o movimento de pegada entre os quatro dedos da frente e o polegar, foram produzidas na impressora 3D montada pelo grupo de pesquisa em manufatura aditiva do laboratório LAPMET da UESC. Outras peças necessárias foram, linha de nylon, parafusos e pequenas placas de espuma EVA, materiais baratos e acessíveis.

Para aprimorar ainda mais a prótese e realizar outros projetos como, por exemplo, a fabricação de órteses, é necessário um Scanner 3D para que possam extrair os moldes com precisão, equipamento difícil de adquirir diante do contingenciamento orçamentário do Estado da Bahia.

Para iniciar os testes com a prótese de baixo custo o grupo precisa também do apoio e parceria com outras áreas do conhecimento como fisioterapeutas, psicólogos, psiquiatras, além do encaminhamento do projeto para avaliação e parecer do Conselho de Ética e Pesquisa da Universidade.

Telefone de contato com a secretaria do curso: (73) 3680-5543.

Acesse o site do Projeto E-Nable (em inglês).

Fonte: ASCOM, UESC. Imagem: Divulgação.

Leia também:

Fale Conosco

Enviando

©2018 Portal Tech4Health Canal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional na área de Saúde e Tecnologias

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account