Medidas preventivas para a prematuridade

Alterar o tamanho da letra
A- | A+

Informações
Data no Tech4Health: 2 de dezembro de 2017


Fonte
Sociedade Brasileira de Pediatria
Data
02/12/2017
Áreas
Medicina. Pediatria. Neonatologia.

Notícia


A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), através de seu Departamento de Neonatologia, divulgou um documento para a prevenção da prematuridade.  A prematuridade é uma síndrome complexa, com múltiplos fatores etiológicos e está associada a um amplo espectro de condições clínicas que define a sobrevida e o padrão de crescimento e desenvolvimento, nos diferentes subgrupos de risco.

O nascimento pré-termo é definido a partir da duração da gestação, quase sempre se superpondo à denominação de prematuro, relativa às manifestações clínicas da imaturidade dos múltiplos órgãos. O nascimento pré-termo não é uma entidade única, mas o desfecho final de múltiplos determinantes. O processo que resulta no nascimento de um prematuro inicia-se na gestação, em um curso contínuo, a partir de condições de risco pré-concepcionais e da gestação, com possíveis repercussões durante toda a vida da criança. O efeito sobre os resultados neonatais de cada condição predominante, materna, fetal, placentária, ou sobreposição desses e outros fatores não bem determinados, parece ser parcialmente mediado pela influência deles na idade gestacional e no peso ao nascer.

Os subgrupos de risco podem ser categorizados, de acordo com a idade gestacional do recém-nascido ao nascimento:

  • Pré-termo, menor que 37 semanas e 0 dias
  • Pré-termo tardio, entre 34 semanas e 0 dias e 36 semanas e 6 dias
  • Pré-termo moderado (ou moderadamente pretermo), 32 semanas e 0 dias e 33 semanas e 6 dias
  • Muito Pré-termo: 28 semanas e 0 dias a 31 semanas e 6 dias
  • Pré-termo extremo, menor que 28 semanas e 0 dias.

Os recém-nascidos classificados como termo precoce, com idade gestacional ao nascimento entre 37 e 38 semanas, no limite da maturidade, têm maior risco de resultados adversos e mortalidade no período neonatal, comparados com os de 39-41 semanas.

Medidas Preventivas

Do ponto de vista da Equipe de Saúde, algumas medidas preventivas podem ser adotadas:

  • Corticoide no trabalho de parto prematuro
  • Sulfato de magnésio para neuroproteção fetal quando da antecipação do parto prematuro em menores de 32 semanas de IG
  • Antibioticoterapia na rotura prematura e prolongada das membranas
  • Organização das salas de parto, equipe capacitada e treinada
  • Vigilância do parto (partograma)
  • Práticas de prevenção de infecção
  • Reanimação, estabilização e transporte
  • Prevenção e abordagem da hipotermia
  • Leite materno como primeira escolha na nutrição do pretermo

 

Acesse o documento da SBP.

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria. Imagem: Reprodução.