Efeitos do gengibre na saúde da mulher

Alterar o tamanho da letra
A- | A+

Informações
Data no Tech4Health: 8 de março de 2016


Fonte
Sogimig, SBNE e “Diabetes and Metabolism Journal”
Data
08/03/2016
Áreas
Saúde da Mulher. Bioquímica. Metabolismo.

Notícia


No dia internacional da mulher, a Associação de Ginecologistas e Obstetras de Minas Gerais (SOGIMIG) publicou, na seção Espaço Feminino, um texto sobre os efeitos do gengibre na saúde da mulher.

O gengibre é uma raiz com diversos benefícios e é usada, em muitos países, como substância curativa. O nome científico da planta medicinal é Zingiber officinale e possui um sabor peculiar, ligeiramente doce, refrescante e picante. A parte aproveitada por suas propriedades é o rizoma.

O gengibre pode ajudar a aumentar a libido durante a menopausa, prevenir náuseas na gravidez (principalmente no primeiro trimestre) e acelerar o metabolismo. A raiz ainda age como anti-inflamatório e analgésico natural, sendo recomendada no tratamento natural de doenças inflamatórias e/ou dolorosas, como a artrite, artrose, fibromialgia ou a fadiga crônica.

É considerado ainda  como um excelente digestivo, auxiliando no tratamento de má digestão, gases, gastrite, úlceras gástricas, diarreia, sendo protetor estomacal, ante o consumo de álcool e medicamentos. Também é útil em outras doenças, como infecções e inflamações de garganta, sendo aproveitado ainda em casos de rouquidão.

Para quem busca um alimento natural e que auxilie no emagrecimento, o gengibre promove a aceleração do metabolismo, muito útil para quem quer perder peso. A planta medicinal também é eficaz na prevenção de doenças cardiovasculares e favorece a circulação, mas, em caso de ingestão de medicação para tratamento, um especialista deve ser procurado para não ocorrer interferência na ação do remédio.

O consumo do gengibre pode ser feito de várias maneiras, como ralar a raiz crua e adicionar nos alimentos; em pó, sem superar a dose de 2 gramas diários; ressecado; em infusão, podendo ser adicionado em um chá quente; suco fresco e em óleo essencial, que são ótimos para fazer massagens, como por exemplo, nos pés frios.

Recentemente, a revista científica Diabetes & Metabolism Journal  publicou na edição de fevereiro de 2016, um estudo em ratos sobre o efeito protetor do extrato de gengibre no coração em diabéticos. Foi observada também ação anti-oxidante do gengibre sobre as células cardíacas pelo aumento de leptina e catepsina G, minimizando a fibrose cardíaca.

A Sociedade Brasileira de Nutrição em Estética (SBNE) possui no seu website algumas receitas com gengibre.

Fonte: Sogimig, SBNE e “Diabetes and Metabolism Journal”. Imagem: Divulgação.