Cuidados com recém-nascidos: pediatra do IFF/Fiocruz dá orientações

Alterar o tamanho da letra
A- | A+

Informações
Data no Tech4Health: 1 de outubro de 2015


Fonte
IFF/Fiocruz
Data
01/10/2015
Áreas
Pediatria. Neonatologia.

Notícia


Muitas dúvidas e inseguranças permeiam o momento tão esperado do nascimento, principalmente, quando se trata do primeiro filho. Os pequenos são frágeis e inspiram cuidados ao nascer: essa nova fase na vida dos pais e seus familiares deve ser vivida com paciência e harmonia. Manter a casa organizada; cuidar do bebê com carinho e delicadeza; retirar anéis, pulseiras e lavar as mãos e antebraços antes de colocar o bebê no colo são algumas orientações que fazem a diferença na rotina dos pequenos. O pediatra do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) Dr. Paulo Borchert dá dicas para tornar esse momento o mais especial possível.

Como dar banho no bebê antes do umbigo cair (pode molhar) e quais produtos de higiene são indicados?

Dr. Paulo Borchert: O banho pode e deve ser dado a partir do primeiro dia de vida, com água morna e sabonete neutro, como o de glicerina. O umbigo pode ser molhado normalmente. Após enxugar o bebê, fazer o curativo do umbigo com álcool a 70% e cotonete, da base para a ponta do coto e, principalmente, na junção da pele com o coto. O efeito do álcool além de antisséptico também tem poder secante. Não utilizar cinteiro ou faixa.

O que fazer se o bebê engasgar durante as mamadas?

Dr. Paulo Borchert: Coloque-o no colo com a barriga para baixo e a cabeça mais baixa do que o tronco, dando leves tapinhas em suas costas, até que ele golfe o conteúdo. É importante abrir a boquinha do bebê e ver se ele não enrolou a língua para dentro; se isso acontecer, puxe-a com o dedo.

Quanto tempo ele demora para arrotar após as mamadas?

Dr. Paulo Borchert: Esse tempo varia muito, isso vai depender da quantidade de ar que o bebê engole durante as mamadas. Para facilitar o arroto, o coloque na posição vertical no ombro e dê uns “tapinhas” bem leves nas costas. Às vezes a criança não arrota e deve ser colocada de lado, sobre o lado direito, sempre com a supervisão de um adulto.

De quanto em quanto tempo ele precisa mamar?

Dr. Paulo Borchert: O bebê amamentado ao seio não precisa obedecer a um horário rígido, por exemplo: de três em três horas. O melhor é adotar a livre demanda, ou seja, o bebê demonstrou fome, ofereça o seio. Ele deve mamar os dois seios em cada mamada, iniciando por um lado e esvaziando a mama e complementando com a outra mama. Na próxima mamada, iniciar pelo seio que terminou a anterior.

De que lado o bebê deve dormir?

Dr. Paulo Borchert: O bebê deve dormir sempre de barriga para cima, pelo menos até o quinto mês de vida. No berço, não deve haver travesseiros, protetores de grade, cobertores, colchas, bichinhos de pelúcia, entre outros objetos de decoração, pois podem sufocar a criança.

Que cuidados mais específicos é preciso ter com os recém-nascidos?

Dr. Paulo Borchert: O bebê não deve dormir na cama dos pais, mas, nas primeiras semanas, pode dormir no berço ou carrinho no quarto dos pais, pois os sons que ele emite, no caso de engasgo são sutis e difíceis de serem ouvidos à distância. Agasalhar o bebê de acordo com a temperatura, para evitar o superaquecimento.

Como identificar o choro de dor ou fome nos recém-nascidos?

Dr. Paulo Borchert: O neném só chora quando tem algum desconforto como frio, calor (muita roupa), cólica, fralda muito úmida com fezes ou urina, ou quando tem fome. O choro de fome é inconsolável e não para até que ele seja alimentado.

É possível criar uma rotina para o recém-nascido? Como?

Dr. Paulo Borchert: A rotina nos cuidados do bebê depende do ritmo dele e de sua mãe. Com o tempo, as coisas vão se ajeitando, permitindo que a mãe cuide de si e de seus afazeres.

Ele precisa tomar água no período em que estiver sendo amamentado, ainda que esteja no verão?

Dr. Paulo Borchert: O bebê em aleitamento materno exclusivo não necessita de água ou outro líquido, como chás nos intervalos, mesmo no calor. O leite materno supre totalmente as necessidades de líquido dele.

Fonte: Suely Amarante, Ascom IFF/Fiocruz. Imagem: Shutterstock.